Olinda I 2019
Papel, mini-pregos, osso de vaca, revista, caderno, romã, cd-room, sandália, canela, kit de costura, kit de temperos
Instalação
dimensões variavéis 


* realizado durante o programa de residência VerdeVez, no Campo Arte Contemporânea -Teresina / Pi

Nesta instalação investigo como afeto e memória podem ser ficcionalizados, lidando com a perda de informações e possíveis apagamentos que ocorrem dentro de diálogos entre pessoas que não se conhecem.

Olinda é uma mulher que me convidou para entrar em sua casa.
Nós não nos conhecíamos, mas eu disse a ela que iria fazer um trabalho sobre a nossa conversa.
Ela concordou, mas não se deixou ser fotografada.
In this installation piece I investigate how affection and memory can be fictionalized, dealing with lacks and loss of information inside brief encounters with people.

Olinda is a woman who once invited me into her house. We didn’t knew each other but I told her I was going to make a work about our conversation.

She agreed but didn’t let me take her photograph.
We spoke about love, violence and memory.